VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA IDOSA: O OLHAR DOS PROFISSIONAIS DE
SAÚDE DE UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO.

Nome: Maria Aparecida Moreira Raposo
Tipo: Dissertação de mestrado profissional
Data de publicação: 28/11/2013
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Franciéle Marabotti Costa Leite Co-orientador
Paulete Maria Ambrosio Maciel Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Elizabete Regina Araújo de Oliveira Suplente Externo
Fátima Helena do Espírito Santo Examinador Externo
Franciéle Marabotti Costa Leite Coorientador
Leila Massaroni Suplente Interno
Paulete Maria Ambrosio Maciel Orientador
Sheilla Diniz Silveira Bicudo Examinador Interno

Resumo: A violência contra a pessoa idosa torna-se uma preocupação para a sociedade a partir do momento em que aumenta a conscientização de que, nas próximas
décadas haverá um crescimento considerável da população idosa. A apropriação desta temática, pelos profissionais de saúde, torna-se importante para a prevenção e atuação diante de situações de violência contra esse segmento populacional. O objetivo deste estudo é analisar a concepção dos profissionais de saúde da Unidade de Clínica Médica de um Hospital Universitário sobre violência contra a pessoa idosa. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo, de abordagem qualitativa. A coleta de dados se desenvolveu em duas fases por meio de questionários, tendo como sujeitos 91 profissionais de saúde. Os resultados foram analisados pela técnica de análise de conteúdo proposta por Bardin e Minayo. Na primeira fase participaram 64 sujeitos onde se abordou a concepção de velhice dos profissionais. Os dados foram coletados no período de março a abril de 2013. A análise desses
dados permitiu a construção de quatro categorias sobre a velhice, nas dimensões: biológica, cronológica, psicológica e social. Constatou-se que a concepção de velhice dos profissionais de saúde independe da idade cronológica e é norteada por fatores como dependência e capacidade funcional. Na segunda fase do estudo foi abordada a concepção de violência, tendo como sujeitos 53 profissionais. Os dados foram coletados no período de agosto a setembro de 2013. Da análise dos dados foram construídas três categorias: a violência percebida contra a pessoa idosa, a violência no espaço de cuidado hospitalar e as estratégias em frente a situações de violência contra a pessoa idosa. Constatou-se que a violência dentro do espaço de cuidado hospitalar pode ser possível, mesmo sendo esse local considerado como de cuidado e de proteção. A denúncia às autoridades judiciais competentes apareceu como a forma de encaminhamento mais utilizada, no entanto a notificação dos casos
de violência à autoridade sanitária e a discussão do caso em equipe foram pouco utilizadas. O estudo evidenciou as limitações que os profissionais de saúde têm na identificação e condução das situações de violência contra a pessoa idosa, sendo relevante como produto desta pesquisa a proposta de capacitação em violência contra a pessoa idosa para profissionais de saúde que trabalham no hospital.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105