SISTEMA DE INFORMAÇÃO DO PRÉ-NATAL DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA, ES: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE E INDICADORES DA ASSISTÊNCIA.

Nome: Vivian Kecy Vieira Maia
Tipo: Dissertação de mestrado profissional
Data de publicação: 06/04/2016
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Cândida Caniçali Primo Co-orientador
Eliane de Fátima Almeida Lima Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Cândida Caniçali Primo Coorientador
Eliane de Fátima Almeida Lima Orientador
Franciéle Marabotti Costa Leite Examinador Interno
Maria Helena Costa Amorim Suplente Interno
Maria Helena do Nascimento Souza Suplente Externo

Resumo: Um sistema de informação caracteriza-se como um conjunto de
procedimentos organizados que objetiva fornecer informações entre pessoas,
órgãos e instituições, tornando-se substancial conhecer sua qualidade. Além disso, a Ficha Clínica de Pré-natal também serve como fonte de dados para digitação do Sistema de Acompanhamento Pré-natal (Sisprenatal) do Ministério da Saúde (MS) e permite avaliação dos indicadores de processo do Programa de Humanização do Pré-natal e Nascimento (PHPN) e Rede Cegonha. Objetivos: Avaliar a qualidade de um sistema de informação de pré-natal; analisar os indicadores de processo do Programa de Humanização do Pré-natal e Nascimento (PHPN) e Rede Cegonha a partir do sistema de informação de Pré-natal; atualizar o sistema de informação para consulta de pré-natal. Metodologia: Trata-se de um estudo epidemiológico descritivo a partir da análise de dados secundários do sistema de informação de prénatal.
A população da pesquisa são todas as gestantes que realizaram pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde e no Centro Municipal de Especialidade do município de Vitória (ES) e tiveram seu atendimento registrado na ficha clínica da Rede Bem Estar (RBE) com primeira consulta de pré-natal entre 1 de janeiro de 2013 e 31 de dezembro de 2014 e finalização do pré-natal até outubro de 2014. Para avaliar a qualidade dos dados da Ficha Clínica de Pré-natal foram utilizados os critérios de acessibilidade, clareza metodológica, oportunidade e completude definidos pela Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL). A completude foi avaliada segundo os critérios de incompletude propostos por Romero e Cunha e atribuídos escores em graus de avaliação quanto a excelente, bom, regular, ruim e muito ruim. Os indicadores da assistência pré-natal foram analisados após a avaliação da completude da Ficha Clínica de Pré-natal da RBE, na qual utilizaram-se os indicadores de processo do PHPN, Rede Cegonha e Manual Técnico da Atenção ao Pré-natal de Baixo Risco do MS. Após análise, a assistência pré-natal foi dividida em quatro níveis de qualidade e nas categorias adequada, inadequada e intermediária, conforme os níveis de procedimentos mínimos realizados para cada gestante. Resultados: A maioria dos resultados da incompletude apresentou escore
de qualidade ruim e muito ruim. Os campos com qualidade excelente ou bom para incompletude estão relacionados aos itens de preenchimento obrigatório. O resultado dos indicadores de processo apresentou classificação da adequação da qualidade da assistência pré-natal como adequada para 15,09% no nível 1; 11,47% no nível 2; 3,32% no nível 3; e 0,16% no nível 4. Conclusão: Precisa-se de intervenções de supervisões constantes pela gestão para melhoria dos registros na Ficha Clínica de Pré-natal da RBE e os profissionais precisam ser sensibilizados para o adequado registro da assistência prestada à usuária gestante. O PHPN/Rede Cegonha é uma política de referência no território brasileiro. No entanto, os municípios precisam se organizar para implementar efetivamente essa politica como dever do Estado e direito de cidadania. A Ficha Clínica de Pré-natal atualizada pode proporcionar melhor qualidade no cuidado pré-natal, principalmente à consulta de enfermagem.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105